16 outubro 2008


Em Memória a David Sobral

( Mais do que a fotografia, ele é o que dele me contam )

O silêncio é a imagem antes de retocada pelo som e esculpida pela palavra

E a imagem retocada

Fez-se grande e bem amada

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Outubro de 2008





2 comentários:

manuela baptista disse...

Canção de Embalar

Vivemos histórias de um rapaz ausente

Rasto apercebido de silêncio e sons

Celebramos ritos em tamanhos tons

Cantemos então o rapaz presente!

Para a Isabel

MB

Menina_marota disse...

Tenho passado aqui em silêncio, porque as lágrimas não me deixam ver tantas vezes as letras que aqui gostaria de deixar.
Sei que posso compreender a dor... Nunca a senti, mas como compreendo esta dor/amor. O amor maior. Aquele que jamais morrerá dentro do coração e do pensamento

Porque sou Mãe e porque vejo/sinto com olhos de Mãe o sentimento que inunda todo o corpo, todo o ser, todas as memórias.

Porque o amor não tem título para dar à perda, ao sofrimento, á agonia...

Porque tenho partilhado esta dor grande como um oceano, as palavras que tantas vezes quis dizer e que não consegui porque a dor, afinal, é tão grande, como se fosse minha...

Abraçá-la é o que me resta, perpetuando nesse abraço tudo aquilo que do David aqui absorvi.

Hoje não quero ser mais uma anónima que aqui vem em silêncio chorar consigo.

Hoje quero juntar as minhas lágrimas às suas e dizer-lhe que o Céu está mais azul, porque é nele que reside o Amor Maior.

Beijo com carinho
MM (Otília Martel)