18 setembro 2010

O teu silêncio bastava






Moledo, hoje

Um ramo de cravos vermelhos enterrados na areia, logo pela manhã.
O Mar vai levá-los, em breve, para mais próximo da tua rocha.
Algumas lágrimas vão juntar-se ao mar.
Lágrimas vigilantes no canto do olho ...
Quase a brotar, a um som, a uma imagem, a uma luz, a uma lembrança.
Lágrimas da tristeza e das saudades que aumentam a par dos dias que passam e não regressas.
Lágrimas desta certeza cruel de não saber viver sem ti.
Sem os teus sons pela casa.
Sem as tuas gargalhadas.
Ou apenas o teu sorriso.
Ou só o teu silêncio.


4 comentários:

manuela baptista disse...

Isabel

18 de Setembro, já 19

os cravos sobram
porque o seu silêncio
bastava

um beijo

manuela

BRANCAMAR disse...

E ver Moledo assim enfeitada de cravos é como se a praia ganhasse vida própria, a verdadeira, não a que a invade no mês de Agosto.
E eu que ando há dois fins de semana para passar por lá, que pena não ter ido este. Quis ir ver a procissão dos pescadores, a que vai da Ínsua até Vila Praia de Âncora, por ocasião da Senhora da Bonança, sempre me cativou a vida dos pescadores, na sua labuta e nos seus dias Domingueiros, mas a fase que atravesso não tem sido propícia a grandes saídas. Só agora começo a estar um pouco mais organizada.
Breve darei notícias.
Fico com a imagem dos cravos e da rocha do David e de uma praia de Moledo sempre bela, mesmo vestida de saudade.
Beijinhos
Branca

Ana Cristina disse...

Bjis da
Nini

Pe de Salsa disse...

Em silêncio...

deixo um abraço.

Isa