13 setembro 2010

À espera


DESTROYED BY TIME
Destroyed by time
© Aurelien Vivier

2 comentários:

manuela baptista disse...

destruído pelo tempo

mas abrigo de algas
e de peixes

as memórias multiplicaram-se em cada molécula de água

e é agora
mais mar do que eu

um beijo, Isabel

manuela

BRANCAMAR disse...

Querida Isabel,

Em falta consigo, ainda sem notícias, trago-as logo que possa.
A espera é sempre enevoada e lenta, mas o sol brilhará sempre por entre as nuvens.
Beijos
Branca