14 junho 2012

Dia a dia



Mais um dia.
E como em todos os outros dias penso - mais um dia.
É assim que conto o tempo.
Até a noite adormecer.
É assim que, em cada dia, recomeço - mais um dia.

Sem ti, os dias são uma sucessão de retornos e regressos.
Mesmo sem ti, converso longamente contigo.
Comigo.
Na parte que ficou de ti.
E que sabe as respostas exactas que darias
Às perguntas que faço
A ti (ou a mim).
Porque só passou um dia.

Sem ti.
Cada dia.
É apenas mais um dia.




2 comentários:

BRANCAMAR disse...

Lindo poema Isabel!
Um poema de amor, de um grande amor, mesmo que triste belíssimo.

Obrigada pela música do Sérgio Godnho.

Beijinhos
Branca

Anónimo disse...

Lindo poema Isabel!
Um poema de amor, de um grande amor, mesmo que triste belíssimo.

Obrigada pela música do Sérgio Godnho.

Beijinhos
Branca