24 abril 2012

Existir sem ser.


Ontem a minha mãe fez, hoje, 84 anos. 
Apesar da idade, apesar das dores contínuas que a atormentam, 
apesar da recente cirurgia ... apesar da perda de um neto ... 
estava bonita. 
Estoicamente agradecida à vida que lhe trouxe, recentemente, uma bisneta 
a quem puseram o nome dela - 
Alice.
Que veio juntar-se ao meigo Miguel
Parabéns, mamã! Parabéns por ser como é!

Já eu ...
Até quando resistirei, sendo quem não sou?
Existir não é ser.
Eu existo.
Faço de acrobata para voltar a ser alguém; alguém de bem consigo própria, 
aquele alguém parecido com aquela que o David admirava, 
aquela de quem o David dizia aos amigos ser alma gémea?
Era eu?
Apenas mãe.
Se calhar somos apenas o que vemos reflectido nos olhos de quem nos quer muito bem.
E nos quer dizer que nos quer bem.
As palavras são palavras.
O que valem?
Uma desculpa pelo que não se exprime pelo olhar.
É nesse olhar límpido e raro, porque intencional, que nos sentimos ser.
Alguém.
Parabéns, mamã, por sentir e ser como é.

Já eu...
Podia até ser cegonha, no cimo da torre da minha aldeia, ao anoitecer.
Podia ser aquela alga, já escurecida, de que as ondas se esqueceram, na areia.
Até talvez um parapeito de janela vazio.
Ou uma estrela cadente de Agosto que se despenha lá longe, no monte.
Creio até que podia ser uma esquina de duas ruas sem nome.
Podia ser o escuro dos olhos brilhantes do meu neto.
Nenúfar vizinho das rãs que saltitam, de folha em folha.
Ou só um batente, em forma de mão fechada, silencioso na porta trancada.
Podia ser só silêncio.

Parabéns, mamã, por saber quem é e como é.
Parabéns, mamã, por ser.
Não, apenas, por existir.

Já eu ...
Ando perdida, a seguir as setas que indicam o caminho.
Não me desviar do percurso que sei a percorrer.
Longo, longo.
Duro, duro.
À espera ...
Em moto contínuo ...


Já eu ...
Só existo!

E tu, David, porque não podes regressar, 
só por um bocadinho?
Para me serenares ...
e eu te falar disto?
















4 comentários:

BRANCAMAR disse...

Que fotografia tão linda!
Que mães tão lindas!
Que filho maravilhoso!
Tudo isso é um tesouro imenso Isabel!

O seu texto é muito lindo.

Parabéns para a mãe Arminda, belíssima na sua idade e na sua coragem.
Parabéns para si, que sabia esperar mais um neto, neste caso neta, tive aqui a confirmação de já ter nascido.

Apesar de tudo, tem uma família fantástica, vale a pena estar aqui por todos eles, embora saiba que gostava que o David vivesse isso.

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL VENÂNCIO


Querida Amiga,

Parabéns a Sua mãe ... a Si e à Sua neta também!

Um beijinho grande


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Abril de 2012

Sara Cardoso disse...

Querida Isabel, aproveite esta vida linda! Aproveite os seus netos lindos, brinque com eles, este tempo não voltará para trás... deixe que eles um dia a lembrem como a avó... aquela mulher maravilhosa, que voltava a ser criança ao pé deles... Sorria, seja feliz não só pelos que a amam e precisam de si, mas por si principalmente, porque esta vida é muito bela. não lhe peço que esqueça o David, mas que a saudade não a impeça de ser feliz... Sei que é pedir muito, mas tente Isabel, seria o que o seu filho desejaria.
Continuo a esperar o seu sorriso...
Abraço
Sara Cardoso

Anónimo disse...

Que fotografia tão linda!
Que mães tão lindas!
Que filho maravilhoso!
Tudo isso é um tesouro imenso Isabel!

O seu texto é muito lindo.

Parabéns para a mãe Arminda, belíssima na sua idade e na sua coragem.
Parabéns para si, que sabia esperar mais um neto, neste caso neta, tive aqui a confirmação de já ter nascido.

Apesar de tudo, tem uma família fantástica, vale a pena estar aqui por todos eles, embora saiba que gostava que o David vivesse isso.

Beijinhos
Branca