09 dezembro 2010

Razon de vivir



http://www.youtube.com/watch?v=bfIfaqCCfgo

Mercedes Sosa
Para decidir si sigo poniendo
Esta sangre en tierra
Este corazon que bate su parche
Sol y tinieblas.
Para continuar caminando al sol
Por estos desiertos
Para recalcar que estoy vivo
En medio de tantos muertos;
Para decidir
Para continuar
Para recalcar y considerar
Solo me hace falta que estes aqui
Con tus ojos claros
Ay! fogata de amor y guia
Razon de vivir mi vida
Para aligerar este duro peso
De nuestros dias
Esta soledad que llevamos todos
Islas perdidas
Para descartar esta sensacion
De perderlo todo;
Para analizar por donde seguir
Y elegir el modo
Para aligerar
Para descartar
Para analizar y considerar
Solo me hace falta que estes aqui
Con tus ojos claros
Ay! fogata de amor y guia
Razon de vivir mi vida
Para combinar lo bello y la luz
Sin perder distancia
Para estar con vos sin perder el angel
De la nostalgia
Para descubrir que la vida va
Sin pedirnos nada
Y considerar que todo es hermoso
Y no cuesta nada,
Para combinar
Para estar con vos
Para descubrir y considerar,
Solo me hace falta que estes aqui
Con tus ojos claros.
Ay! fogata de amor y guia
Razon de vivir mi vida.

5 comentários:

BRANCAMAR disse...

Isabel,

Já li este poema noutros dias, mas só hoje cheguei mais cedo e tive tempo de o aprofundar. Belíssimo e traduz toda a sua alma, por isso mesmo o deve ter escolhido.
É um belíssimo poema para introduzir a noite de hoje.
Deixo um miminho, com votos de que corra tudo como espera e até logo.
Beijos
Branca

manuela baptista disse...

as razões para viver

podem ser várias, umas pessoais, outras menos

mas a única que conta, é o facto de estarmos vivos

sem isso, não existe razão nenhuma


isto para dizer, Isabel

que, do fundo do meu coração, desejo-lhe que encontre, na irracionalidade da sua própria vida

a força para ser feliz

sem perder distância

e que o livro que ontem lançou e que o seu filho conhece de cor,

seja uma ajuda para as outras mães, como a Isabel!

nós por cá, também o sabemos de cor e de cor,

um beijo

manuela

BRANCAMAR disse...

E acho que correu tudo como esperava e até talvez melhor.
Posso dizer-lhe que assisti a muitos lançamentos e nunca vi um auditório tão grande e tão cheio de ternura, de amizade, de tudo...
E apesar de já ter conhecido o livro antes, estar com ele na mão, tê-lo como algo tão palpável, com aquela fotogrfia encantadora do David foi uma sensação diferente.
Espero que mais este passo seja uma ajuda na sua caminhada, no fazer o luto, que tem o seu tempo e os seus passos, penso que este foi um passo de gigante e de muita coragem.
Foi deslumbrante a apresentação da sua amiga, uma pessoa notávelmente brilhante, que sabe tanto da vida. Como dizia "quem somos nós para avaliar o sentir alheio?"
Beijos
Branca

BRANCAMAR disse...

Isabel,

Para si, apesar de...deixo um carinho de Natal. Eu sei como é, a minha avó sempre estava triste e adoentada nestes dias, mas depois vinha a ceia, o dia 25 e à volta de todos os filhos e netos, era outra, duas mulheres numa como a Isabel diz.
Por isso lhe deixo um miminho para estes dias que antecedem o Natal e sei preferia que não existissem.

Beijo de carinho
Branca

Silenciosamente ouvindo... disse...

Não vou deixar muitas palavras.
Apenas dizer que não a esqueci.
No muito silêncio penso em si.
Um beijo
Irene Alves