18 abril 2010

30 meses ... e depois?




Olha, David

Ultimamente, venho aqui e não tenho palavras para descrever o que sinto, a falta que me fazes, ... e saio. Talvez me digam que começo a interiorizar a dor.

Talvez …
Talvez esteja somente mais funda com o peso da saudade que me vai inundando os olhos com as mesmas lágrimas de espanto.
Assalta-me, mesmo hoje, agora, (passaram 30 meses) a incredulidade ... por não estares aqui, junto de mim!

Como foi que aconteceu?
E se tivéssemos feito de forma diferente?
E se o teu trabalho fosse outro?
E se um médico tivesse ouvido o que dizias?
E se ...?
Vivo dentro de um círculo ... entre o princípio da tua doença e o teu fim ...
E não me canso; dói, ... mas não sei fazer de outra maneira!!

Talvez as angústias estejam mais escondidas ou eu me tenha habituado a não falar tão teimosamente da minha saudade ...
Bem vejo como me empurram para outro assunto, quando o teu nome surge ... a propósito de tudo.
Porque tudo em mim está inevitavelmente ligado a ti!

A dor talvez esteja mais calada, mais discreta ...
Mas não é menor!!
Sei bem o que sinto e como o cansaço me lança para um canto de silêncio e imobilismo.
A dor da saudade que sinto de ti, David, é cada dia mais e mais obscura; menos traduzível em palavras.
O apagar da luz para adormecer é o acender de um clarão sobre o palco do nosso passado ... que se derrama, sob os meus olhos fechados, ... inalterável, inteiro, constante.

Vagabundeio pelas imagens que se vão sucedendo!
Persistem iguais; inconfundíveis, apesar do tempo.
Nessas imagens me instalo!
E afogo-me na dor desse lugar nenhum ... até que o sono ...

Passaram 30 meses ... sobre ti!
A água das lágrimas tomou o lugar de tudo.
A minha vida sabe a sal!

13 comentários:

Anónimo disse...

Isabel, olá. Com maior ou menor frequência, consoante a vida nos empurra, sabe, que aqui, pode sempre desabafar o que lhe vai na alma, que nós não nos cansamos de a ouvir/ler ;).Quando sentir necessidade e não a quiser mostrar aos outros, venha ter connosco.
Um grande beijinho,
MM

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL VENÂNCIO


Querida Amiga,

Começo por a citar:

" ( ... ) Bem vejo como me empurram para outro assunto, quando o teu nome surge ... ( ... )"

Se me encontrasse pessoalmente Consigo, não só não evitaria como não A empurraria para outro assunto qualquer ...

Falar é viver e agora, quando A vejo a espreitar nas muralhas que com o Seu filho e Sua Casa se confundem, bem vejo como está mais forte!

Se falar é viver, escrever é viver duas vezes e sitiada pelo cerco ineludível que o David, na perca, Lhe moveu, a minha Amiga cresce e fortalece-se assim como muralha de um castelo inexpugnável resolvendo e logo aprendendo a viver com a dor que A acompanha.

Bonito cabeçalho este, o do Seu blogue ...!

Irónica, a minha Amiga espreita e entrelaça-se com a vida.

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Abril de 2010

manuela baptista disse...

-Finalmente, abriu-se a porta!-resmungou o Ganso, atirando-se pesadamente para cima do sofá -já pensava que tinha de voltar pelo mesmo caminho...ainda por cima pintaram a casa de outra cor...

desculpa lá o pó agarrado às penas, mas a viagem foi longa

e quem sou eu para falar de viagens

tu tens as tuas e já deste duas vezes a volta a ti própria sem rede e até já pensavas que seria mais fácil dar a volta ao mundo seguindo um ganso gordo como eu, que agora já nem gordo estou

a Primavera custou a chegar, mas há tanta coisa que custa e cheira-me à minha casa e estou doido para dormir enrolado

não sem antes contemplar as estrelas e agradecer-te por teres esta porta aberta, não ligues ao que te disse antes, eu sou um tagarela de penas e tantas penas temos que nos esquecemos das penas dos gansos e dos pássaros sempre a cantarolar, sempre a começar cada dia como se fosse o primeiro, a memória limpa, branca, a postos para ser preenchida...

agora vou para ali, juntar-me a esses dois

que nem sei de onde vieram!

e aposto que nem sabem voar em V, nem nada...

amanhã conto-te uma história de esvoaçar, assim tenhas paciência para me ouvir...

...

Isabel,

tem paciência para me ouvir?!

um beijo

Manuela

Isabel Venâncio disse...

Olá, Manuela
Então não havia de ter paciência para a ouvir?
Nem de perto chego à sua paciência e disponibilidade que tem tido para me ouvir a mim ...
Um beijo
Isabel

Isabel Venâncio disse...

Olá, Jaime

Não fica triste se eu lhe disser que é o meu filho quem espreita na muralha?Eu não sou assim tão jovem!! Fotografia tirada em Óbidos, há bastantes anos, quando ele foi passear até ao Alentejo.
Um abraço
Isabel

Isabel Venâncio disse...

Meu caro MM

Por vezes, damo-nos conta de que temos amigos invisíveis mais visíveis do que os de carne e osso, que temos ao lado!
Não, não me estou a queixar dos amigos bons e em grande número que tenho!!!
Seria uma grande injustiça da minha parte!
Eu sei que algumas pessoas acham, que se eu não estiver sempre a pensar e a falar do David,passarei melhor o tempo e sofrerei menos!
É um puro engano! Posso não falar ... mas não deixo de pensar!
E é um pensamento quase tão constante como o próprio acto de pensar ou respirar.
Obrigada por me ouvir sempre.
Um abraço
Isabel

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL VENÂNCIO


Minha Querida,

Bem me dizia minha mulher ...!

Triste!?

Alegre deve sentir-se a minha Amiga por a tomar assim por tão jovem ... que o é!!!

E lá que são parecidos, são!

Beijinhos e desculpe-me a gaffe


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Abril de 2010

António disse...

No dia 18 de Abril estive em Óbidos, onde participei nas Jornadas de Cultura Espírita e passei por esse exacto lugar,onde o David olha e eu digo permanece.Abraço amigo.

Brancamar disse...

Querida Isabel,

Linda a nova entrada do blog, porque lindo é também o David, o seu ar gaiato e tudo o que o circunda.
Li o seu texto e mais uma vez digo que apesar de triste não deixa de ser belíssimo.
Noto na sua escrita últimamente essa beleza nas imagens literárias que nos deixa, que traduzem um estado de alma ainda que dorido como diz, mas com uma evolução diferente. Há um tempo de luto para a alma, que para uma mãe nunca é curto, nunca será definitivo, mas será doce, será a resposta para esses porquês e uma maior aceitação.
Espero que de resto tudo continue a correr bem e que o seu neto lhe traga todo os dias o amanhecer na luz daquele sorriso lindo que as crianças transportam para a nossa vida.
Beijinho imenso
Branca

Ana Cristina disse...

Olha David,

Ontem a avó Alice fez 82 anos e lá estiveste connosco em casa da tua mãe à volta da mesa ao jantar.

...à volta do Miguel que nos encanta.

Mas contigo sempre no nosso pensamento,palavras e ...brindes.

A ti, meu querido David!
Bjis da Nini
(sabes,o Miguel também já diz Nini)

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL E NINI


Queridas Amigas,

Beijinhos de parabéns à avó Alice

Felicidades para todos com uma flor ao peito


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Abril de 2010

manuela baptista disse...

ai que agora me baralhei com as avós!

e quem é a avó Arminda?

Nini! eu também sei dizer Nini, Miguel!

parabéns a todas as avós!

Manuela

Isabel Venâncio disse...

Manuela

Isto é uma grande confusão, não lhe parece?
É assim. A minha mãe é Arminda Alice Sobral.

Arminda para colegas, família em geral, netos mais velhos (Sérgio e David)..etc...

Alice para a Diana, porque a avó paterna dela também se chama Arminda.

Ao bisneto, meu neto, temos ensinado Alice e Chico... parece-nos melhor para ele saber a quem se refere a Diana que sempre os tratou pelo nome próprio.Por isso a minha irmã se refere a ela como Alice.

"Abóbó" (cá em casa) ... sou eu!

Um beijo e resto de bom 25 de Abril!

Isabel