21 março 2010

Na Primavera, o Outono


21
Hoje, começa a Primavera.
Tu vieste na Primavera.
No Outono, partiste.
Primavera.
Outono.
As tuas, também minhas, estações preferidas.
O sol, ainda sem queimar.
O sol, antes de ser chuva, frio ou vento.

2006
Hoje, começa a Primavera, mas a chuva (ou serão lágrimas?) veio, para se instalar e ficar...

18
Hoje, começa a Primavera …
Mas o sol não me sossega.
No Outono, 18, partiste.
Mais um 18, na semana que findou.
E, no entanto
Amanhã, ainda é Primavera…

22
Foi, amanhã,
22,
há 4 anos.
Apesar da luz!
Apesar da Primavera!
Lembro-me que o sol se toldou.
Os meus olhos alarmaram-se de espanto.
O coração bateu mais forte.
Era o medo !!
Era já saudade!!!
Escureceu.
Choveu.
Chorei.
Comecei a morrer um pouco.

29
Foi amanhã, em Março …
Que, dentro de uns papéis,
Pousados, ali ao lado
Estava escrito o nosso futuro
O teu, subitamente, ... tão curto.

27
Agora, a Primavera só me diz que nasceste.
E não quero apagar essa parte do passado.
Quero poder, sempre, pintar o teu sorriso
No meu olhar.

Agora
Sou o que restou dessa parte da minha vida.
Com ela reaprendi, que em cada dia,
pode haver breves instantes de alegria.
Reaprendi a dor
e as lágrimas
e os teus olhos de espanto
nessa Primavera
distante.


7 comentários:

Brancamar disse...

Foi um sonho lindo, que ficará para sempre no seu coração Isabel. Apesar da saudade, foi e será sempre um sonho lindo...
Tudo de bom para si.

Beijos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

HOJE COMEÇA A PRIMAVERA


Hoje começa a Primavera
acorda do choro
a fera
que me diz
quanto recado
fica por escrever
por todo o lado


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Março de 2010

Anónimo disse...

Isabel, minha querida

Como lamento a tristeza que se instalou na tua vida.
Vi-te desabrochar, ainda jovem professora, na nossa escola Soares dos Reis, ainda nos barracos.
Quando penso em ti, nesses tempos distantes, vejo-te quase menina,mas já prenunciando a excelente profissional em qaue te tornaste. Recordo-me de ti, magrinha, roupa garrida e de calças jardineiras, pasta de couro claro, sorriso e palavra sempre prontos, na tua voz inconfundível.
E estavas ávida de vida ...
Lamento tanto.
Vi-te, ontem, na festa de despedida da Berta, da Manela e da Alexandra. Em tudo tão diferente, excepto no sorriso, apesar de triste.
Se há pessoa que não merecia tanta provação, és tu certamente.
Se há pessoas excepcionalmente fortes e que merecem andar de cabeça bem erguida; tu és uma delas, certamente.
Se a escola é para ti, agora, um ambiente estranho, não significa que não tenhas deixado a tua marca bem visível nos colegas e, sobretudo, nos alunos.
Uma das poucas vezes em que te vi sorrir, sorrir mesmo, foi durante a longa conversa com a "minha Amarílis", tua aluna, tua amiga.
A escola mudou, muitas das que te conheceram bem ... reformaram-se ... ficaste mais só ... também aqui.
Que isso não te entristeça.
Foste excelente, mãe, colega, professora e continuas a sê-lo!
Quem não viu, só perdeu!
Um abraço apertado
M.

Anónimo disse...

Boa Noite Isabel, á muito que em silêncio a leio, cobardia minha, nunca deixei um comentário, não por falta de vontade, mas sim por falta de palavras, li o que escreveu nas crónicas de espera e sabe, senti exactamente o mesmo, senti que a voz do meu pai que tanto lutou estava a ser esquecida, senti também que se esquecem da dor que fica, para quem vê partir alguem, que lutou pela vida até não poder mais..... quem fala deles, quem fala de nós, que precorremos aqueles corredores, engolindo lágrimas e espalhando sorrisos.
Não, não existe só finais felizes, mas quem lutou e não venceu, merece ser falado com a mesma honra, porquê, porque também lutaram, de igual forma, somente não tiveram a mesma sorte.

Para si, um beijo enorme

Para o David, se encontrares por ai o meu pai, diz lhe que o amo muito e que sinto tanta falta de ouvir a sua voz de sentir o seu toque.

Vanda

manuela baptista disse...

tanta Primavera em cada Outono

venha Isabel, vista outra vez as suas jardineiras velhas, as suas camisolas de todas as cores

desafie o que passou e o que ficou

não faça festas porque os amigos se vão embora, faça-as porque estamos a chegar

é sempre tempo de chegar, mesmo no limite irremediável do que já se foi embora

e cada Primavera traz um Outono triste e cada Outono não seria triste sem todas as Primaveras

tantos dias! em apenas um dia

desejo-lhe o sol, mesmo antes de queimar!

um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

o escorrer do tempo

está mais claro!

Ó manas Venâncio, as meninas estão cada vez mais parecidas!

beijinhos

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

PORQUE ELA FALA


Escorre o tempo
escorre
escreve
corre
sossega
pára
rega
que não morre
tua é a memória
que se cala
sabe o que dizer
porque ela fala


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Março de 2010