21 fevereiro 2010

Só 28 vezes o dia 18??!!




Um copo de leite.
Um bolo de requeijão.

Que estranho falar destas coisas tão banais, aqui.
E, no entanto, são importantes, para mim.
Por isso, falo delas só aqui; porque não sou capaz de falar delas.
Reflectem muito do que vai doer sempre, cá dentro.
Pequeninas coisas soltas que flutuam num imenso mar de saudades.

Bebi um copo de leite frio, pela primeira vez, desde que o David morreu.
Fiz um bolo de requeijão.
O ultimo bolo de requeijão, … levei-o para o hospital de dia, durante uma das quimioterapias do David, para oferecer às enfermeiras e doentes.
Eu era a “senhora dos bolos”, mãe daquele rapazinho …

Já repararam num copo grande de vidro cheio de leite? É tão bonito!
O David adorava beber um enorme copo de vidro transparente, cheio de leite frio…
E mirava-o, antes de o beber. Achava-o bonito.
Luminoso!
Também eu sempre gostei de fazer estranhas combinações.
Beber leite em grandes copos de cerveja ou de sumo ou cálices de vinho do Porto.
Tomar café em copos pequeninos de vidro, de bagaço, …
O leite branco … era comum aos dois!
Bebi um copo de leite frio e vieram-me as lágrimas aos olhos.

Não foi apenas um copo de leite.
Tinha o sabor amargo da saudade.

7 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL VENÂNCIO


Querida Amiga,

Falas destas coisas só aqui porque não só és capaz como delas queres, tens absoluta necessidade de falar!

Tens tanta necessidade de o fazer que não te limitas a falar delas, antes sobre elas escreves ...

Escrever tem outra profundidade e incisão:

Escreves do que falas com tanta convicção que deixas um traço que neste rastro, sem ambiguidades se percorre, claro como um copo de leite e luminoso, alvo do tamanho da saudade!

Um beijinho terno


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2010

Brancamar disse...

"Não foi apenas um copo de leite...", em circunstâncias especiais sempre os sentimentos andam agarrados às imagens, mas apesar de tudo Isabel, apesar da saudade e das lágrimas que vêm com um copo de leite sinto-a mais solta. Haverá alguns dias em que o copo de leite não lhe trará lágrimas, mas pode num outro dia qualquer voltar a contecer e terem passado muitos anos. A saudade sempre fica, mas a dor vai suavizando, assim espero.
Beijinhos.
Branca

Anónimo disse...

Isabel

Escreve como só uma mãe saudosa seria capaz.
Até um simples copo de leite se transforma num hino ao amor que se sente nas saudades que tem.
Imagino...
Não, não imagino mesmo o que lhe possa doer.
Tenho lido muitas vezes o que escreve.
Fico sempre emocionada pela beleza e singeleza da forma como fala de uma perda tão grande e de uma dor tão evidente.
Parabéns pelo seu blog, só seu.
Deolinda

Ana Cristina disse...

Há dias de muitas saudades e de total incredibilidade.
Revi todas sa fotos que tenho do David nos ficheiros do computador.
(A Diana não está cá para se zangar por eu o fazer...)

Não podia ter acontecido.

Bjis.
Nini

António disse...

Sobre a Vida e a Morte podemos ter as mais diversas teorias.Mas nenhuma delas se sobrepõe às lágrimas que uma Mãe verte pelo desaparecimento físico do seu amado filho...

manuela baptista disse...

Também quero um bocadinho de bolo de requeijão!

nunca comi bolo de requeijão e muitas outras coisas mais que fazem as memórias e reavivam as saudades

ou a consolação.

Os copos de leite frio bebo-os sempre

são bons
são belos
acalmam
espalham-se dentro de nós como mares de ondas
da cor do algodão e dos suspiros

na banalidade deste dia tão cheio de vento que entontece

dou-lhe um abraço

ou talvez 28 abraços se a Isabel deixar...

Manuela

manuela baptista disse...

...não está cá a Diana

mas estou eu!

deixe lá, que quando eu a vir faço-lhe queixinhas ou então coloco um aviso na net...

este recado é para a Nini, claro! e um beijinho também!

Manuela