27 abril 2009

flores...



Neste dia, a praia de Moledo floriu, especialmente, para o David.

5 comentários:

jaime latino ferreira disse...

FLORES


Flores nos rochedos da praia
Desabrocham em Abril
Memória que não nos traia
O que se esconde em covil

Da linha é o carril
É a lembrança uma vaia
Erguem-se vozes são mil
Que nos impedem que caia

Num esquecimento que é vil
Que nos remete para raia
De uma palavra sem til

Meu coração que não saia
Deste seu pulsar subtil
Nesta ânsia que se espraia


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Abril de 2009

Maria Emília disse...

Cara amiga Isabel,
Despertou-me a curiosidade o poema da Manuela Baptista dedicado a si e ao David e colocado pela Filomena no Blog em segredo. Foi assim que fiquei a conhecer o seu blog.
Não tenho palavras para curar a sua dor, uma dor que não se cura.
Dezoito meses depois da morte da minha filha Mónica, era o segundo Natal que passávamos sem a presença física dela e eu ainda não tinha a mínima capacidade de fazer o que quer que fosse para celebrar o Natal para os meus dois outros filhos pequenos 10 e 18 anos.
A Mónica também morreu num dia 18, num trágico acidente de automóvel.
Mas eu não vim aqui para falar da Mónica. Vim para lhe dizer que estou aqui, se precisar de mim.
Para me ajudar a aprender a viver com a ausência física da Mónica, fundei a Associação A Nossa Âncora que liderei durante 14 anos. Não sei se já ouviu falar. É uma Associação de Apoio a Pais em Luto. Há dois anos passei a Direcção a outra mãe e agora estou por aqui a passar aos outros aquilo que aprendi durante os 17 anos que passaram sobre a morte da minha filha. Foi uma longa caminhada.
Um grande e apertado abraço,
Maria Emília

Ana Cristina disse...

A praia de Moledo terá sempre a luz do David para os olhos de quem o ama incondicionalmente e não o esquece nunca.

Obrigada à Olga por ter levado a Moledo as flores nos 31 anos do David.

O pássaro que sobrevoou o areal de certo espalhou a notícia de que naquelas flores estava o amor e a saudade imensa que tantos sentem pelo nosso querido Davidocas.

Bjis.
Nini

manuela baptista disse...

O Estranho Pássaro

Que pássaro
sobrevoa o areal
deserto
batendo as asas
sobre os cravos
sobre as rosas
as flores do mar
desfiguradas
transfiguradas
no amor doce
de um eterno
e sentido beijo

Manuela Baptista
Estoril, 29 de Abril 2009

Brancamar disse...

Já tinha passado em silêncio por este post florido de cravos e saudade, mas apesar da saudade é um lugar bonito.
Deixo a minha homenagem.
Beijos para a Isabel.
Branca