27 abril 2009

31 anos



Há 31 anos, numa 5ª feira de sol, pelas 16h 45m, nasceu o David, um filho desejado.
Dei-lhe a vida.
Acompanhei-o, dia a dia, hora a hora, até à morte, naquele quarto banhado de sol.
Assisti incrédula à tragédia que mo tirou.
Vivo, agora, dia a dia, hora a hora, dentro desta imensa e dolorosa sensação de impotência.
Nada pude...

7 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

ISABEL VENÂNCIO


Minha Querida Amiga,

Respondo-Lhe com silêncio de pudor aqui e segui o conselho do João Branco no meu blogue.

Espero que Lhe agrade ...!

Desejo-Lhe toda a força e coragem do mundo, Seu com um beijinho de amizade


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Abril de 2009

Filomena disse...

Isabel,

Um beijo.


Filomena

manuela baptista disse...

OS FILHOS DESEJADOS

Têm traços
de deuses
e de homens
frágeis
como juncos
entre margens
de rios
de lagos
ou de fontes

A coragem de guerreiros
sem espadas
a solidão encimesmada
dos santos
o bom senso das gaivotas
a beleza das papoilas
encarnadas
e o riso leve
de um canavial ao vento

Ousam sonhar
com o coração nas nuvens
ternos
sedutores
e cristalinos
libertam-se do tempo
a cada golpe de asa
radiosos
saudosos de infinito

Uns partem
conquistados pela vida
outros atraiçoados por ela
deixam-nos sós
lívidos
e gelados
com um Inverno súbito
profundo
e perturbado

Repousam agora
a cabeça nas estrelas
na certeza tranquila
de um amor imenso
entre o silêncio
daquilo que perderam
e o que agora possuem
inexplicável
e intenso

Para a Isabel, uma mãe desejada e o seu filho David

Manuela Baptista
Estoril,27 de Abril de 2009

Ana Cristina disse...

Beijinhos da Nini.

olga disse...

Hoje o mar de Moledo estava agitado, muito vento, praia deserta e de repente um pássaro passa, separado de todos os outros. Percorreu o mar de um lado ao outro.
Um beijinho muito grande neste dia especial.

Carecaloira disse...

Isabel,

um abraço apertadinho e um beijinho carregado de ternura.

Marina

Brancamar disse...

Querida Isabel,

Tâo lindo este bébé David!
Eu tinha tido há poucos meses um bébé Vasco, que nasceu em Dezembro, mas que também aprendeu a apreciar os valores de Abril.
Ontem o Vasco juntou a família toda e aconteceu eu falar do David e da Isabel com a minha tia mais nova, a propósito da minha avó e do seu filho perdido quando tinha apenas 21 anos. A minha avó partiu com 82, creio que o meu tio já tinha partido há trinta e muitos, talvez mesmo 40, mas soube só ontem pela minha tia que é enfermeira e ficou junto dela, que se tinha deitado cansada, nunca tinha estado doente, nunca se deitava a não ser para dormir de noite e pouco, mas tinha acabado de ter uma embolia pulmonar e levantou-se, pegou na fotografia do filho que patiu muitos anos antes, apesar de já ter visto os outros 3 que esperavam na sala, beijou a fotografia e morreu depois.
Foi depois de a minha tia me falar desta paixão de 40 anos, que eu acompanhei desde que nasci e que me fez amar o meu tio mesmo sem o ter conhecido, que me lembrei da Isabel e do David e tive que falar em si.
A minha avó viveu sempre com esta saudade, mas deixou também tantas marcas de ternura e amor na vida de todos que se cruzaram com ela, é o que eu encontro aqui e o seu neto um dia contará a mesma história que eu estou a contar.
Um beijo enorme.
Branca