25 junho 2008

Estranhas coincidências...



Ao longo do dia, escrevo, mentalmente, milhentas páginas desta casa.
Hoje, passado exactamente um ano, regressei ao IPO. Estranhas coincidências...

Quase tudo são lembranças de ti.
Um CD do Fausto a cantar "A explicação das flores".
As eólicas que giram no cimo do monte em frente ao pátio do Perrinchão, onde te tiraram a última fotografia, que guardo só para mim.
A escultura em ferro do D. Quixote que temos à entrada de casa, sonhador e utópico como tu.
A luz entrando pelas frestas das folhas das árvores do lado poente.
Quando o sol se vai deitando.
O azul do mar calmo semelhante ao de Creta e de que falavas num texto que enviaste para o "Público" e que te valeu um primeiro prémio.
Muitos orégãos na salada.
Os "pirilampos" de leds no jardim e que começam a brilhar quando escurece.
A guitarra, pousada, ao fundo da sala.
Mais música do Zé Mário Branco em "Do que um homem é capaz" ou da Lhasa ou da Nouvelle Vague ou de Bebo & Cigala ...
A voz que me chega do CD do teu programa de rádio "Jazz Faz Tarde", onde é apresentada Elliane Elias, Duke Ellington ou Carlos Barreto ou "a portuguesa Jacinta"...

Eu sei lá... um infindar de pequeninas coisas, gestos, sons (invisíveis a outros olhos) que vejo, filtradas pela saudade, e que não chamo, mas que se impõem como flecha certeira.
Hoje, são umas imagens; amanhã, serão outras.
Foi tão grande a perda e tamanho o amor!
Teria que não viver, não olhar, não ouvir para que a saudade não me atordoasse.

Mesmo maltratada pela vida, vivo ... presa ao que ainda existe de bom, na minha vida.
Há outra forma?



Finalement, finalement
Il nous fallut bien du talent

Pour être vieux sans être adultes

Jacques Brel

5 comentários:

Anónimo disse...

"Estranhas Coincidências"...ou talvez não...Na nossa cultura,raramente olhamos para os sinais simbólicos como sendo sinais e interpelações significativos que provêm de Algures,mas tais sinais,e falo por vivências repetidamente manifestadas,de coincidências não têm NADA e de eloquente TUDO...Abraço de Alma.António

Ana Cristina disse...

Acho que não há outra forma mesmo e o que de bom ainda existe na tua vida precisa de ti.
Estranhas coincidências mesmo... não sabia :(
Beijinhos.
Nini

maria josé disse...

Porque não pões aqui o texto do David sobre o mar de Creta?
Era mais uma 'receita para fazer azul' a juntar à do Nuno Júdice...

Anónimo disse...

Eric Clapton...Autobiografia...página 273...António

jaime latino ferreira disse...

PARÁFRASE A JACQUES BREL

Éternellement en avant/
Il nous faux bien tu talent/
Pour être jeunes et savants/
-.-
Em homenagem a todos os nossos Entes queridos
-.-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Junho de 2008